Escolha uma opção:

quarta-feira, 10 de julho de 2013

Pouso cego

Um conto escrito em 2010, inédito no blog, que alguns dos amigos já conhecem.
JGCosta


Clique na imagem para ver de onde ela veio!



Pouso cego


01h30

-- Torre de Controle, aqui é Delta Alfa Quinto Quinto Terceiro, informando que faremos pouso forçado! Repetindo: Delta Alfa Quinto Quinto Terceiro, informando que faremos pouso forçado! Aparelhos não respondem...
--- Quinto Quinto Terceiro, aqui é Torre! Informem coordenadas, vocês sumiram do radar...
--- Quinto Quinto Terceiro, aqui é Torre! Informem coordenadas, vocês sumiram do radar...
-- Capitão.
-- Prossiga Controlador.
-- Quinto Quinto Terceiro não responde, após sumir do radar entrou em contato, proximidades de Campinas.
-- Alerte o Aeroporto Internacional de Viracopos! Eles sabem acionar os procedimentos padrões. Onde está a descrição da aeronave?
-- Aqui senhor...
-- Deixe-me ver, Airbus A380, 510 passageiros, vôo internacional! Informe ao Comando Geral!
-- Sim senhor!
                                                     ...

01h35

-- Atenta Unidade 01, Unidade 02, Unidade de apoio 03, possível queda de avião de passageiros próximo a Rodovia Dom Pedro I, km 13. Solicitante: Viracopos. Efetuando contato com as cidades vizinhas solicitando apoio imediato.
-- Unidades 02 e 03 a caminho!
-- Unidades 01 na área central, a caminho!

                                                    ...

01h55

-- Atento Centro de Comunicação, Unidade 02 e 03 pelo local!
-- Informe situação!
-- Por cá sem novidades! Avião aterrissou na rodovia, recebida informação do Comandante que não há vítimas. Somente a necessidade urgente de apoio da Polícia Rodoviária, para organização do trânsito local.
-- Copiado!

                                                   ...

02h15

-- Sargento, foi efetuada a sinalização com apoio da Concessionária responsável pela operação.
-- Ótimo! Onde está o Comandante da aeronave?
-- Está ali junto com o pessoal da imprensa!
-- Por favor, traga-o até aqui para confeccionarmos um Boletim de Ocorrência.
-- Sim senhor!

                                                  ...

02h25

-- Acabamos de preencher todos os dados necessários, agora Senhor Comandante, pode dizer o que aconteceu para o preenchimento do histórico da ocorrência.
-- Senhor policial, eu bem que gostaria! Os controles pararam de funcionar, entrei em contato com a Torre de Comando, e depois disso não lembro de mais nada! Quando vi já estávamos aterrissados na rodovia. Devo ter desmaiado...
-- E a tripulação?
-- Ninguém também viu nada, deve ter sido uma grande queda de pressão, estávamos na altitude de Cruzeiro, cerca de 40.000 pés...
-- Os passageiros?
-- A maioria dormia! E os que estavam acordados também perderam os sentidos.
-- Quais foram as aparentes avarias no avião?
-- Aparentemente nenhuma! Nem marcas na rodovia, nada!
-- Certo! Então não há testemunha nenhuma, teremos que aguardar a perícia técnica da aeronáutica...
-- Testemunha? Tem sim, aquele senhor que a imprensa está conversando agora...

                                                   ...

02h35

-- O senhor, por favor, me acompanhe...
-- Eu já disse tudo que sei para aquele policial ali...
-- Por favor, somente umas informações para o Boletim de Ocorrência. Me empresta o seu RG. Certo, Sr. Julio Prado, 50 anos, tudo anotado, agora me descreva o que aconteceu.
-- Senhor, eu não vi muito bem, vinha de longe com minha moto, estava bem escuro...
-- Me diga somente o que viu para que eu preencha aqui, afinal o senhor é a única testemunha.
-- Como eu disse, vinha vindo e vi o avião pousando, estava a cerca de 500 metros dele.
-- Ele deslizou muito?
-- Não sei dizer, quando dei por mim ele já estava parado bem ali onde está agora.
-- E o que o senhor fez?
-- Liguei para vocês!
-- Imediatamente?
-- Não! Eu fui até o avião para ver se alguém estava machucado. Vi quando o Comandante abriu a porta de emergência e disse tudo estar bem, aí liguei.
-- Nada mais a acrescentar?
-- Nada mais senhor...

                                                 ...
 
02h45

-- Notícia urgente direto da redação! Avião fez pouso forçado na Rodovia Dom Pedro I, interior de São Paulo, não houve vítimas, vamos ao vivo com nosso correspondente. É com você Rocha!
-- É isso mesmo Maurinho, um Airbus com mais de 500 passageiros aterrissou aqui no meio da rodovia, felizmente sem vítima alguma. Acabamos de falar agora a pouco com o Comandante José Eduardo, que não soube dizer como conseguiu aterrissar essa enorme aeronave. Disse também que todos a bordo perderam os sentidos, provavelmente devido à pressão interna da nave. A única testemunha, Sr. Julio Prado, de Campinas, que vinha em sua motocicleta, somente disse que viu a aeronave pousando e mais nada, depois acionou as autoridades. Não há sinal de choque contra o asfalto, aguardaremos agora a perícia com o laudo da causa do acidente, que sairá provavelmente nos próximos 60 dias! Rocha, da rodovia para a redação!
-- Agradeço Rocha, ficaremos atentos e a qualquer momento maiores informações sobre o acidente.

                                               ...

60 dias depois

-- Boa noite! Começa agora o Tele21 com as notícias que foram destaque durante o dia. Saiu hoje o resultado da perícia técnica da aeronáutica, sobre o pouso forçado do Airbus 380 na rodovia Dom Pedro I há dois meses atrás. Segundo a perícia, não houve dano algum na aeronave devido o impacto com o solo, somente constatada falha geral na instrumentação devido pane eletrônica, o que nesses casos levaria a perda total do controle da nave, ocasionando queda imediata. Foi remetido como “inexplicável” o laudo final, uma vez que não houve outras testemunhas que trouxessem mais informações sobre o fato. Especialistas chamados a falar sobre o assunto, não quiseram opinar por se tratar de um caso inédito dentro da aviação mundial, que por esse motivo foi arquivado.

                                              ...

1 ano depois

-- Trazemos hoje para a entrevista o Doutor em Sociologia Contemporânea Senhor Maurício Dalavares, para o lançamento do seu décimo livro. Fique a vontade!
-- Obrigado! Estamos lançando hoje o livro Mistérios Modernos, onde o último fato acrescentado foi o acidente de avião ocorrido há mais de 1 ano na rodovia Dom Pedro I, interior de São Paulo, que até hoje não existe uma explicação plausível sobre a sua causa. Aterrissou sozinho na rodovia, sem acionar o trem de pouso, sem danificar a aeronave, sem vítimas nem testemunhas com dados concretos do fato. Com certeza esse é um dos acidentes que podemos dizer que uma mão do além veio em seu auxílio, pois não existe outra explicação, assim estão dizendo! Alguns passageiros depois do episódio afirmaram terem sonhado com intervenções divinas e acreditam que essa seja a grande explicação, mas eu sou um cientista e afirmo: algo de anormal aconteceu naquele dia, alguém nesse mundo com toda a certeza sabe, isso é comum, sempre alguém sabe! Mas provavelmente não saberemos tão facilmente, a não ser que essa pessoa assim queira! Todos os detalhes envolvendo o mistério, entrevistas, fotos, documentário, estão num capítulo especial dedicado ao episódio. Agradeço a todos! Boa noite!

30 anos depois

-- Jorge, ligaram para você da empresa! Seu avô faleceu!
-- Mas ele estava tão bem... Conversei com ele ontem!
-- Foi enquanto dormia! Querem que você vá ao funeral hoje à tarde.
-- Eu irei...

                                             ...

1 mês depois

-- Alô!
-- Por favor, gostaria de falar com senhor Jorge Augusto Prado.
-- É ele mesmo.
-- Aqui quem fala é Dr. Rui, advogado da Bertes Consultoria.
-- Em que posso ser útil?
-- Estamos marcando para daqui há 20 dias a leitura do testamento do seu avô...
-- Ah, é necessário que eu compareça? Estamos na semana de testes aéreos, o senhor sabe onde trabalho, imagino...
-- Sim, sei, mas o senhor é citado no testamento, então seria como atender um último pedido do seu avô.
-- Certo! Me passe o endereço que estarei lá...

                                             ...

20 dias depois

-- Procedendo na leitura, eu, Rubens de Souza, tabelião encarregado desta circunscrição, valendo da vontade do falecido senhor Julio Prado, faço saber que todos os seus bens ficarão para entidades assistências abaixo citadas, o qual em vida ele fartamente ajudou. O critério utilizado foi que toda a família já possui situação financeira estável. Para o seu neto, filho de seu filho, senhor Jorge, ele deixa o conteúdo do seu cofre particular, sendo todos documentos particulares de cunho familiar e relíquias adquiridas com o tempo, e depois o valor da venda da casa de campo também deverá ser revertida às instituições abaixo citadas. Aqui está a chave e a combinação senhor Jorge.
-- Obrigado!

                                            ...
 
15 dias depois

-- O que seu avô lhe deixou, meu amor?
-- Somente papéis velhos e um antigo BD dentro de um envelope lacrado, com uma etiqueta colada acima onde está escrito: Veja todo o conteúdo sozinho, antes leia os documentos. O problema é aonde irei ver o BD, estes discos deixaram de ser fabricados há um bom tempo.
-- Jogue fora...
-- Pensei nisso, mas eu amava meu avô e vou fazer esse esforço por ele. Creio que na base militar deva haver algum aparelho compatível com o BD.

                                            ...

30 dias depois

-- Meu caro Jorge, se leu antes os papéis, viu que existe uma reportagem sobre a misteriosa aterrissagem de um avião numa rodovia chamada Dom Pedro. Era a única informação que eu gostaria que lesse de verdade, o resto era só para confundir. Se prestou atenção viu que eu fui a única testemunha do fato, e apesar de estar escrito lá que nada vi de anormal, eu menti!
-- Eu preferi guardar segredo, afinal não tenho nem idéia do que aconteceria se eu agisse diferente, creio que foi melhor assim...
-- Escolhi você meu neto para passar essa informação, primeiro porque eu não gostaria que fosse comigo para o túmulo, e depois devido a importante função que você desempenha dentro da aeronáutica ultra moderna, tanto nos testes quanto na engenharia. Faça bom proveito dessa informação, mas lhe aviso agora, é algo que vai mudar seu jeito de ver todo o universo, portanto, se achar melhor, desligue agora essa gravação, quebre o disco e continue sua vida!
-- Mas creio que algo de mim reside em você, portanto não vai desligar, não é mesmo? Então vamos lá!
-- Naquele dia eu voltada de Campinas de moto e percebi que uma luz forte descia rumo à rodovia vindo do céu. Diminui a velocidade e parei, quando constatei se tratar de um avião. Estava com minha filmadora digital novinha dentro da mochila e pensei na hora que seria uma bela filmagem, pois tinha a nítida impressão que a aeronave fazia um pouso forçado. Você lembra desse meu passatempo, não, ficar fazendo filmes da família. Andava com ela por toda a parte aonde ia.
-- Então fui para o acostamento, peguei a filmadora e a preparei. Coloquei a melhor resolução possível, acendi todas as luzes auxiliares que ela possuía, pois estava escuro demais, apesar da Lua sobre a minha cabeça, e então finalmente iniciei a filmagem.
-- Só fui perceber que havia algo de errado quando não escutei o barulho das turbinas, isso cerca de 300 metros do ponto onde eu estava. Não sou especialista em aviação como você bem sabe, mas tive certeza na hora que algo de incomum estava acontecendo, então me empenhei mais ainda em caprichar na filmagem.
-- Quando ele estava a uns 100 metros mais ou menos percebi várias coisas ao mesmo tempo; o avião vinha devagar demais, a luz parecia vir da parte detrás dele e o mais intrigante é que ele descia com o bico meio inclinado para a esquerda. Eu pensei que aquilo era impossível e só poderia estar ocorrendo caso o avião estivesse sendo rebocado por alguém...
-- Foi nessa hora que percebi que a luz alta que agora quase me cegava vinha realmente de outro objeto que estava literalmente carregando o avião, de onde não se via nenhuma luz acesa em ponto algum. Esse objeto continuou descendo cada vez mais lentamente, agora a cerca de uns 15 metros de mim, até que ele parou e desceu na vertical mais lentamente ainda e parou. O avião ficou por um tempo suspenso no ar e então começou a ser baixado para o solo. Percebi claramente que seu trem de pouso não fora acionado, outro detalhe que me passou despercebido antes.
-- Enquanto o avião tocava o solo, corajosamente eu me aproximei ainda filmando e tenho certeza absoluta que seja que tipo for de aeronave que rebocara o avião, estava agora invisível para meus olhos, pois a luz agora da minha filmadora atravessava o local onde ela deveria estar. Como que para confirmar o que eu estava pensando, uma onda de uma cor metálica correu por toda a estrutura de uma nave enorme e redonda, que por alguns segundos ficou visível, enquanto meu coração queria sair correndo pela minha boca.
-- Nesse momento minhas mãos tremiam tanto que parecia haver um terremoto acontecendo em minha volta. Logo a aeronave voltou a ficar transparente, se afastou do avião e iniciou uma subida na vertical, até que quando alcançou a altura de um prédio de 30 andares, voltou pelo mesmo caminho que fez numa velocidade impressionante.
-- Fiquei ainda um tempo com a respiração rápida e percebi que filmava o céu vazio. Voltei a filmadora na direção do avião e desliguei a mesma, guardando-a rapidamente na mochila presa às costas! Corri para o avião e bati em sua fuselagem. Em pouco tempo a saída de emergência lateral foi aberta e eu liguei para a polícia. O resto é o que está escrito no jornal que você deve ter lido. Não disse nada do fenômeno que havia presenciado para absolutamente ninguém. Na hora nem sei por que agi assim, mas com o tempo percebi que tinha sido a melhor coisa a ser feita.
-- Não me resta dizer mais nada, agora basta olhar o vídeo e tirar as suas próprias conclusões! Ainda dá tempo de desligar o vídeo...

                                            ...

10 minutos depois

-- Em algum momento achou que era mais uma brincadeira minha? Pois se achou, se enganou! Agora você tem um conhecimento que eu guardei por muito tempo e o que você fará com essa informação que lhe deixei eu sinceramente não sei! Use-a bem!
-- Para mim foi importante ter a certeza que não estamos sozinhos no universo, mas sempre fui um homem equilibrado e tive o receio que essa informação pudesse vir até a destruir o nosso mundo, é isso mesmo, tal a maneira como aqueles que detêm o poder acabam agindo diante de circunstâncias que desconhecem!
-- Que bom que você me acompanhou até aqui na minha última história, eu tinha certeza que o faria! Eu ti amo Jorge, seja feliz!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Agradecido por comentar!
Abraços renovados do amigo JoeFather!