Escolha uma opção:

Palestra de Trânsito: Preservação da vida! - Atualizado: 27-10-2016

Tudo bom meus amigos!

Fazíamos, eu e o Diretor de Trânsito do Departamento em que trabalho, quase que semanalmente uma palestra de trânsito chamada de "Preservação da Vida" em auto-escolas que operam em nossa cidade, voltadas para os novos condutores de veículos. Fazíamos também, sempre que solicitado, essa mesma palestra em empresas e escolas da rede pública de ensino. Neste momento, outubro de 2016, faço sozinho, ainda quando solicitado...
Essa palestra já foi ministrada para mais de 3000 pessoas desde de 2010 até a data atual.
O objetivo principal dessa nossa palestra é sensibilizar os participantes e com isso conseguir que outras pessoas entrem de cabeça na luta diária contra a violência exacerbada que ocorre no nosso trânsito.
Em nossa cidade, Itatiba/ SP, nos últimos anos, apesar do crescimento da frota e do número de condutores, estamos conseguindo diminuir o número acidentes de trânsito e principalmente as vítimas fatais, em ocorrências dentro da região que é da competência municipal, ou seja, vias públicas com exceção das rodovias. Foram 18 vítimas fatais em 2008, 9 em 2010, 8 em 2011, 5 em 2012, 3 em 2013 e por enquanto 1 em 2014. Essa é a nossa meta:

Torne essa meta da sua cidade também!

Temos plena certeza desses dados, pois coletamos semanalmente dados de todos os acidentes registrados pela Polícia Militar e nos registros online da Polícia Civil, e computamos no programa SEAT, que você pode conhecer nesse blog. Além de coletar as informações, fazemos um acompanhamento das vítimas que ficaram hospitalizadas pelo tempo necessário para saber se entraram, infelizmente, em óbito, ou se foram liberadas, com sequelas ou não. A nossa meta, assim como de todas as cidades, é zerar o número de vítimas fatais, mas em virtude do crescente crescimento da frota, associado ao número crescente também de motociclistas, essa meta quase acaba se tornando uma utopia. Lembra das 5 vítimas fatais de 2012? Pois é, 4 foram motociclistas e 1 um ciclista. Em 2013 as 3 vítimas fatais foram motociclistas! Todos em duas rodas!
Falando em motocicletas, costumamos levantar sempre uma questão referente à retirada de habilitação da mesma, no momento das aulas teóricas, que normalmente é realizado em locais fechados, sem a interferência de outros veículos. Depois, esses condutores são lançados no nosso trânsito, junto com automóveis, caminhões, carretas, pedestres distraídos, crianças correndo pela via, sofrendo ataque de cachorros na periferia; e no menor descuido seu destino é o chão: cá temos mais uma vítima, com pouca ou grande gravidade. Em outras palavras, acidente de trânsito envolvendo motociclista geralmente é um acidente de trânsito com vítima!
E quais são os itens de segurança obrigatórios de uma moto? Antena para cerol? Protetor de motor? Se pensou nesses itens, deverá consultar as Resoluções do CONTRAN e descobrirá que são obrigatórias somente para os mototaxistas e motofretistas. Para os demais motociclistas, podemos dizer que é facultativo. Ainda assim se compararmos as motocicletas com os automóveis, por exemplo, que na hora da colisão possui Airbag, volante que sai para o lado, barras de aço laterais, que tipo de segurança será proporcionada então ao motociclista? Nenhuma!
Aliado a isso está a inexperiência citada acima, aonde o motociclista irá levar ao menos de 2 a 3 anos para se especializar na condução deste tipo de veículo, cumprindo diariamente o que dispõe o CTB e suas Resoluções, etc. E para complicarmos ainda mais a situação, como vocês poderão ver abaixo num vídeo, ainda existe o fator desrespeito por parte de condutores dos demais veículos.
Então como vencer esse problema, como dar chance para que o motociclista não se envolva em acidentes de trânsito ou ao menos saia ileso destas ocorrências: através da constante aplicação da direção defensiva, gerando um aumento necessário da educação de trânsito. Acreditamos nisso: quando tudo falhar - o semáforo quebrar, alguém furtar uma placa de sinalização importante, alguém invadir uma preferencial - a educação de trânsito do condutor não pode falhar. Ser a educação de trânsito prevalecer, se ela for sempre utilizada, com certeza conseguiremos diminuir o número crescente de vítimas fatais no trânsito brasileiro.
Agora que falamos um pouco sobre a importância da educação de trânsito, outro aspecto importante para o bom funcionamento do trânsito é a engenharia. Ela engloba todas as mudanças que ocorrem nas vias públicas, visando facilitar a locomoção e aumento a segurança das partes mais frágeis: os pedestres e ciclistas. Novamente em nossa cidade uma das bases para tomada de decisões é a acidentalidade, que por sua vez é baseada nos dados do programa SEAT, tanto para as primeiras mudanças, como para detectar se elas surtiram o efeito desejado ou não. Com a aprovação da Lei de Mobilidade Urbana (http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2011-2014/2012/lei/l12587.htm), em janeiro de 2012, outro importante peso na balança para tomada de decisões  é levar em consideração o transporte público acessível e funcional para todos, priorizando o não motorizado e o coletivo sobre os demais.
O último artifício dos órgãos de trânsito é a fiscalização. Primamos sempre pela orientação, antes da autuação, mas sabemos que infelizmente alguns condutores são motivados somente pelos débitos em suas contas bancárias, e mesmo assim, aqueles com maior poder aquisitivo, insistem no desrespeito até as últimas consequencias. Um dos desrespeitos frequentes, que parece agora está diminuindo no Brasil, é o do consumo de álcool somado a direção de veículos. Alguns críticos tendem a afirmar que o nosso legislativo é fraco e inconsequente, mas a questão de beber e dirigir em nosso país são culturais, de décadas. Como mudar essa realidade de um dia para o outro? Somente com medidas gradativas, acreditamos. O final somente poderia ser a tolerância zero, que estatisticamente comprovará a sua eficácia na diminuição de mortes causadas pelo trânsito.
Para que não fiquemos somente nas palavras, geralmente ilustramos com vídeos essa segunda parte da nossa palestra. Muitos desses vídeos são desenvolvidos por nós mesmos, baseados em outros importantes trabalhos existentes.

O nosso primeiro vídeo exibe imagens de 100 pessoas famosas. O que será que eles têm em comum?



Nessa nova versão listamos 100 pessoas tidas como famosas e que faleceram em decorrência de acidentes de trânsito, agora num pequeno vídeo de menos de 1 minuto e meio. Imagine vocês então se eu colocasse dentro dele as imagens de todas das mais de 61.000 vítimas fatais aproximadas que tivemos no Brasil em 20112. Pelos meus cálculos, teríamos um vídeo que duraria mais de 365 dias. Imaginem então se cada uma das 61.000 vítimas fatais tiver, pelo menos, 20 pessoas que se importem com elas, alguns mais outros menos, incluindo aí familiares, amigos, conhecidos, pessoas que amavam, respeitavam, queriam que ela estivesse junto a elas, facilmente então chegaremos a bem mais de 1 milhão de pessoas sofrendo por ano, somente no Brasil, devido ao caos do nosso trânsito. Só posso tirar uma conclusão disso tudo: é muita gente sofrendo, até quando esta situação vai continuar piorando... O que podemos fazer é uma homenagem a essas vítimas:



E para melhorar o respeito no trânsito, nada melhor que investir na educação das crianças a esse respeito, enquanto elas ainda estão naquela fase de absorção de ensinamentos que vão ficar por toda a vida.





Podemos sim comparar a segurança de nossos lares, onde vivem as pessoas mais importantes de nossas vidas, à proteção que deveríamos encontrar no nosso trânsito, onde de fato os mais fortes protegem os mais fracos, afinal, não é assim que funciona dentro de uma família?

Dizem que todos nós temos um anjo da guarda. O vídeo abaixo retrata o momento em que isso pode ser comprovado...



O tema do vídeo é preciso: abrace a vida! Nada mais fundamental. O cinto de segurança executa justamente essa função. Mas espere, quantas vezes vocês ouviram falar que alguém morreu por estar presa no cinto de segurança? Inúmeras, não é? E sobre as que foram salvas, você já ouviu alguma vez? Não? Pois é, as grandes manchetes são baseadas em sangue, em catástrofes, provavelmente ninguém nos cumprimentará por ter feito o nosso trabalho de maneira correta, afinal, pensarão alguns, não fizemos mais que nossa obrigação. Mas somente pense em falhar que o seu mundo irá virar de ponta-cabeça. No caso do vídeo, os anjos da guarda estavam de prontidão, infelizmente nem sempre isso acontece...

E quando os anjos da guarda se descuidam um pouco, um erro simples pode se tornar um problema para o resto de nossas vidas...


Quantas incontáveis consequências pela falta do uso do cinto de segurança!

Citamos anteriormente que os motociclistas, além de respeitar o CTB, devem se preocupar com outros condutores. Vejam um exemplo dessa afirmação:




Qual é a primeira coisa que se nota nesse vídeo? O capacete da passageira rolando na via, não é mesmo? Com certeza estava solto e colaborou para que ela viesse a falecer, horas depois... Isso mesmo, perceberam como é fácil perder uma vida no trânsito? O motociclista estava andando na sua faixa corretamente e uma colisão traseira tirou uma vida ou foi o uso inadequado do capacete? Independente de sua conclusão, o que sempre alertamos, é que não se deve utilizar o capacete ou o cinto de segurança de forma inadequada, somente visando evitar uma infração de trânsito. É a preservação da vida ou de uma pessoa condenada a uma cadeira de rodas que buscamos.
Infelizmente, entendemos, que existem algumas contradições que jamais poderiam existir quando algumas Leis são sancionadas, principalmente quando se trata de salvar uma vida. Nesta Resolução do CONTRAN (http://www.denatran.gov.br/download/Resolucoes/Resolucao4532013.pdf), no seu Art. 4º, inciso II, a penalidade para quem anda com o capacete solto ou com a viseira levantada tornou-se leve. Agora eu pergunto: como no exemplo do vídeo você conhece alguém que já faleceu na mesma situação, quando o capacete voou e o condutor chocou sua cabeça no asfalto ou numa guia? Pois é, eu conheço, pessoas próximas... Então por quê tornar leve algo que compromete diretamente a segurança de um motociclista? Não sei a resposta...

Uma das infrações de trânsito que mais ocorrem em nossa cidade e no mundo todo é a utilização indevida do aparelho celular, e com toda a certeza o mesmo ocorre na maioria das cidades. Mas, afinal, o que isso representa de perigo real ao se dirigir um veículo?



Parece um pouco engraçado, mas no fundo não é! A atenção do condutor deve estar plenamente voltada para a via pública, nunca se sabe quando algum obstáculo humano ou físico irá surgir na sua frente. Em nossa cidade e provavelmente na maioria dos Municípios brasileiros, se todo condutor falando ao celular fosse autuado, aí sim se diria a pleno pulmões que existe uma indústria da multa, poi elas seriam milhões...

Podemos afirmar que quem fala ao celular ao dirigir está cometendo um erro, isto é fato! E quem envia as mensagens para quem está dirigindo está fazendo o que?


Não vou falar o que pensei, para manter o decoro da postagem...

O Brasil luta já há alguns anos, no combate a direção de veículo por condutor embriagado, esbarrando em inúmeras questões de ordem legal, principalmente baseados no conceito de que o indivíduo não pode juntar provas contra si mesmo, e assim normalmente recusava-se a fazer uso do bafômetro, quando era abordado numa blitz policial ou fiscalização comum.
Observemos então por outra ótica: a maioria dos motoristas com mais idade, dirigem a décadas sempre da mesma forma, bebendo e dirigindo, e servindo de "exemplo" para seus filhos, sem que isso resultasse muitas vezes num acidente mais grave. Pode-se dizer então que, por esse olhar, beber e dirigir são praticamente ações que fazem parte da cultura de nosso povo. Então como mudar isso? Do dia para a noite é impossível.
Acreditamos que o Governo agiu certo, implantando gradualmente a Lei Seca, até chegar ao ponto que estamos hoje, onde nada de álcool é permitido para quem vai conduzir um veículo automotor, e cabe realmente à uma fiscalização intensa para que esse costume nacional saia de prática e com os anos, tenhamos cidadãos muito mais conscientes. Obviamente que não é somente o álcool e direção que devem ser combatidos, mas como no caso da motocicleta, quando existe um acidente mais grave, passe um pente fino e encontrará uma embriaguez fazendo parte do caso.
E falando em beber e dirigir, o vídeo abaixo aborda uma das maneiras que nós, como bons cidadãos, podemos auxiliar no combate à embriaguez no volante:




Foi uma abordagem cômica, mas não é, ainda mais se o rapaz embriagado atravessar a rua atrás da chave e for atropelado. De fato essa atitude é muito sensata, deixar que alguém dirija nas condições representadas acima é colocar muitas vidas em risco.

Seguindo nessa linha mais alegre, um canal americano fez um vídeo para exemplificar as atitudes que você não pode tomar no trânsito.



Para aqueles que acham que a simulação acima é pura ficção, essas situações ocorrem a todo o momento no trânsito.

Brincamos um pouco nos vídeos acima, para que fatos reais, como esse do vídeo abaixo, parem de ocorrer.




No primeiro vídeo que apresentamos, citamos que muitas pessoas são psicologicamente afetadas quando ocorre uma morte no trânsito. Acredito sinceramente que o autor do ocorrido no caso de Jaqueline seja mais uma das vítimas desse acidente terrível. Algo a acrescentar sobre esse vídeo é que ele foi criado pela sua maior vítima, ao menos os dizeres, por ela mesma! Seu objetivo ficou claro, essa é a sua grande colaboração para que novos acidentes do tipo não venham ocorrer e tragam tanto sofrimento. Eu diria até que ela nos sensibilizou desde a primeira vez que a vimos após o acidente, em imagens. Creio que ela também sensibilizou pessoas muito mais importantes...



É falando a mesma língua que traremos mudanças, ou seja, quando todos nós queremos a mesma coisa, no caso menos álcool no trânsito e mais vidas salvas, basta o declararmos de coração, como foi o caso do vídeo acima. E por mais inacreditável que possa parecer, é bem provável que muitos ao terminarem de ver o vídeo pensarão o seguinte: tudo não passou de uma encenação política, com algum objetivo escuso escondido atrás do colarinho branco. Mas e quando a súplica vem daqueles que ficaram para trás...




O que mais podemos fazer senão acreditar que o futuro será diferente, que as mortes não foram em vão, que ao menos serviram de exemplo de como ainda temos que evoluir, afinal, se pudéssemos parar o tempo, será que faríamos algo diferente?



Não dá infelizmente para parar o tempo, congelá-lo naquele momento quando poderíamos agir diferente, tudo que estiver ao nosso alcance para salvar uma vida deve ser feito antes, antes do fato ocorrer, depois, só restam as lágrimas...

E se não dá para parar o tempo, mais difícil ainda é imaginar se retornando nele, retornando para um passado inalcançável, passando a vida olhando para trás...


... buscando alcançar alguém que se foi, alguém que amamos e que não volta mais!

E como explicar para nossos filhos que alguém que ele ama não voltará mais para casa?


Quem sabe colocando a culpa num monstro? Não daqueles que vão sair do armário, não um tão previsível assim...

E como sufocar a tristeza se o último contato que tivemos com aquela pessoa especial foi uma simples mensagem de texto que ficou gravada na memória?


Alguém pode afirmar: De que valeram tantos momentos felizes se o que algumas vezes nos resta é somente o sofrimento?

A Austrália deu nos últimos anos um grande exemplo no enfrentamento às causas de acidentes de trânsito, aliando apoio político, campanhas sérias, rigor na fiscalização e formação de condutores, e tecnologia. O vídeo abaixo é uma coletânea de filmes educativos de alta qualidade, formatado com precisão, abordando de forma rápida diversos tipos de acidentes de trânsito, e suas diversas causas e efeitos.



Se os amigos repararam bem nos números apresentados no início do filme acima, perceberam que os australianos levaram 20 anos para conseguir reduzir pela metade o número de vítimas fatais de uma região. Aqui no Brasil, onde apesar dos esforços de alguns órgãos, o número de vítimas fatais e principalmente dos sequelados aumenta ano após ano, apesar do compromisso brasileiro com a Década de Ação pelo Trânsito Seguro 2011-2020 organizado pela ONU.
Mas então será que o Brasil tem como atingir essa meta, de reduzir em 10 anos pelo menos 50% no número de vítimas fatais no trânsito? Acredito que seja uma missão difícil, mas não totalmente impossível, principalmente se utilizarmos como exemplo experiências, tal a da Austrália, que surtiram efeitos positivos. Para isso um esclarecimento político, ágil e pontual, se faz necessário no endurecimento de Leis, agregando penas mais pesadas e utilização de meios tecnológicos para auxiliar nesse necessário salvamento de vidas. Outro ponto fundamental é a melhor preparação de nossos condutores. Na Austrália, por exemplo, o número de horas aulas na formação dos motoristas é muito superior à aplicada aqui, e o período da chamada carta provisória é de 4 anos, onde no primeiro ano o motorista necessita conduzir o veículo acompanhado de um motorista já habilitado. Essa estratégia é simples de entender: porque um médico, um engenheiro, um advogado, e diversos outros profissionais qualificados, têm de se preparar ao extremo, depois estagiar e finalmente comprovar sua capacidade, enquanto um motorista, após um mês e pouco, sai dirigindo por nossas perigosas vias com uma arma em suas mãos, sem o acompanhamento necessário de alguém mais experiente? É muita responsabilidade para que deixemos que a sorte ou o azar seja o fator predominante, quando o risco são vidas humanas.

Para aqueles que pensam que o nosso trânsito não tem jeito de se tornar um ambiente mais saudável para todos, eis uma prova de existe um equívoco aí.


De fato o que falta em algumas situações é amor e solidariedade, o que sobrou no vídeo acima.

E por último, como costumamos fazer em nossas palestras, segue um vídeo que muitos irão perguntar: o que ele tem a ver com trânsito?
De fato o vídeo abaixo tem a ver com o relacionamento interpessoal, o respeito de um para com a sociedade em que vive, os valores que por muitas vezes deixamos de lado, enfim, tem tudo a ver com o trânsito, pois é um dos locais onde diariamente vivemos nos relacionamos com pessoas diferentes e que muitas vezes somente querem ser respeitadas pelo que são: seres humanos!



Este é o conteúdo principal de nossas palestras, os amigos da área de trânsito ou demais setores relacionados podem usar e abusar desse material, pois assim estarão contribuindo para disseminar a boa educação de trânsito, que como já dissemos, quanto menos falhar, menos vidas, menos dores, mais vida!

Abraços renovados para todos!

===================================
Em tempo: Repercussão da divulgação da palestra:

DENATRAN elogia palestras da Prefeitura

"O material é de excelente qualidade e só posso parabenizá-los. É um trabalho que mostra paixão", disse por e-mail a Coordenadora de Educação do Denatran - Departamento Nacional de Trânsito, Maria Cristina Hoffmann, sobre o material utilizado em palestra pelo Departamento Municipal de Trânsito da Prefeitura.
"É gratificante ter este reconhecimento. Continuamos acreditando que a educação é a principal ferramenta para a melhoria da segurança no trânsito", disse o Prefeito João Fattori.
O trabalho, que faz parte das ações de conscientização desenvolvidas pelo Departamento Municipal de Trânsito, consiste em visitas a escolas, empresas e Centros de Formação de Condutores. O objetivo é educacional. Além de conversar e esclarecer dúvidas, os palestrantes exibem filmes sobre segurança no trânsito. Segundo Hoffmann, o material foi enviado para a Ascom, empresa responsável pelas campanhas do Denatran, onde foi analisado por comunicadores e psiquiatras. "O material irá contribuir muito para que as agências entendam o que é o trânsito lá na ponta e o que é necessário para atingir a fundo a questão", disse a Coordenadora de Educação do Denatran.
Este trabalho do Departamento de Trânsito de Itatiba está disponível para empresas e escolas interessadas. "O trânsito é feito por nós, condutores. Por isso, uma de nossas propostas é investir na conscientização e educação dos motoristas, principalmente dos futuros motoristas", comentou o Diretor do Departamento, Manoel Angelo Sanfins.

Interessados devem se informar e solicitar a visita pelos telefones: 3183-0692, 3183-0639 e 3183-0673.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Agradecido por comentar!
Abraços renovados do amigo JoeFather!