Escolha uma opção:

Sistema de Estatísticas de Ocorrência Criminais (08-05-15)

Buscando auxiliar as Guardas Civis Municipais de todo o território nacional ou demais instituições, fiz uma adaptação no meu programa SEAT e crie o Sistema de Estatísticas de Ocorrências Criminais (SEOC), que tem como objetivo principal criar um banco de dados para acompanhamento dos trabalhos realizados no Município.

O link para baixar sem custo algum o SEOC segue abaixo, para utilização em computadores que possuam o Microsoft Office 2007 ou superior instalado. Caso utilize uma versão anterior, entre em contato (jgcosta@ymail.com) que lhe envio:


Como citei ele segue os princípios básicos do SEAT, contudo criei algumas imagens abaixo para auxiliar na sua utilização básica. Clique nas imagens para ampliá-las!

Essa é a cara do SEOC quando aberto.


Ao clicar na aba Suplementos o menu do programa será visualizado.


Antes de qualquer coisa, é importante colocar uma senha no programa. Para isso saia do mesmo e entre no Microsoft Office Access 2007. 



Clique no botão Office e na opção Abrir.



Busque a pasta onde se encontra o SEOC, selecione o mesmo, clique na seta para baixo da opção Abrir, segure a tecla SHIFT pressionada e escolha a opção Abrir exclusivo.



O SEOC deverá ser exibido da forma abaixo, com as tabelas aparecendo. Se isso não ocorrer é porque você esqueceu de pressionar a tecla SHIFT ou não a pressionou direito. Repita o passo anterior novamente.


Essa necessidade de abrir em Modo Exclusivo é para que você possa inserir, alterar ou eliminar uma senha do seu banco de dados.
Agora, clique na aba Ferramentas de Banco de Dados, depois na opção Criptografar com senha, digite a senha escolhida e a repita, depois clique no botão OK.


Antes de sair do Modo Exclusivo, você pode verificar que existem duas tabelas distintas, Logradouro e Bairro, que podem ser acessadas a qualquer momento, via consulta do SEOC, para entrada de novos dados. Contudo, caso você já tenha uma listagem de endereços ou bairros de sua cidade numa planilha do Excel ou mesmo num arquivo TXT, você pode vir diretamente nas tabelas e colar esses dados, de uma maneira bem simples. Nesse caso não é necessário abrir o SEOC em Modo Exclusivo, basta manter pressionada a tecla SHIFT antes de entrar no programa. Vamos dar um exemplo de como atualizar via tabela os endereços no SEOC.
Primeiramente abra o seu arquivo que possui os endereços a serem copiados, selecione as células e clique CTRL + C para copiar.


Agora volte para o SEOC, dê dois cliques na tabela Logradouro, depois clique na setinha com um asterisco para ir para um novo registro. Perceba que já existem registros nesta tabela de Logradouros que vem com o SEOC, que podem ser aproveitadas pelo usuário e não comprometem a utilização do programa.


Agora clique no início no novo registro para selecionar a linha. Note que a seta do mouse se torna uma setinha preta apontando para a direita.



E agora clique CTRL + V para colar os endereços da planilha. Irá aparecer uma mensagem perguntando se deseja inserir os registros. Clique no botão Sim.


Pronto! você já tem os novos registros de endereços em sua tabela para utilização no SEOC.
Agora vamos supor que você tente colar endereços que já existem na tabela. Será que isso poderá ocorrer? Se você tentar ele dará a seguinte mensagem de erro:


Em resumo a mensagem quer dizer que você não pode ter dados duplicados nesta tabela. Clicando na opção OK uma nova mensagem aparecerá, indicando se deseja que para cada registro que não puder ser copiado uma nova mensagem apareça. Nesse caso o indicado é cancelar e descobrir quais endereços já existem antes de copiar para a tabela.


Por que isso ocorre? Porque a tabela Logradouro bem como diversas outras no SEOC não permitem registros iguais, para que os usuários não criem inúmeros endereços que já existam e na hora dos relatórios as informações demonstradas fiquem confusas demais, pois, por exemplo, se você tiver no seu banco de dados duas Av. Marechal Deodoro e cada usuário se utilizar na hora do registro da ocorrência de uma delas, na hora de gerar um relatório por logradouro, esta Avenida aparecerá duas vezes e não somadas, Desta forma é importante que, para novos registros de logradouro, bairro, etc, se faça uma consulta antes para verificar da existência do mesmo ou de um registro semelhante, pois o usuário pode estar querendo digitar Av. Mal. Deodoro e como não encontra decide adicionar esse registro. Se antes ele fizer a consulta pela palavra chave Deodoro, nesse caso do exemplo, ele descobrirá que o registro da Avenida procurada e deve a utilizar, gerando assim um banco de dados mais otimizado, padronizado e funcional.

Agora que já treinamos a entrada de dados via tabela, entre no SEOC sem pressionar a tecla SHIFT, clique na aba Suplementos, vá em Arquivo e escolha a opção Entrada de dados.


Vou acompanhar com você a entrada de um registro, começando pelos dados principais da ocorrência:


Digite o número da ocorrência. Não é necessário digitar, por exemplo, 00001/2015, basta somente 00001, pois esse campo pode receber registros duplicados. O que determinará o ano da ocorrência será a data digitada mais abaixo;
Ao dar Tab (tecla acima do Caps Look ou Fixa, depende do teclado), perceba que é pulado o campo Fonte, pois esse programa foi desenvolvido para as GCMs. Mas nada impede, caso esteja digitando dados de outra corporação, que se retorne para esse campo e escolha outra opção;
No campo Natureza escolha uma das opções específicas. Não dá para inventar uma Natureza qualquer, pois se o dado não fizer parte da tabela ele será rejeitado, com a seguinte mensagem:


Isso ocorre porque a natureza deve estar contida na tabela. Diferente das das tabelas de logradouro, cidades, causas, profissões, bairros e referências, a tabela de natureza não possui consulta especifica para entrada de novos dados. É necessário que se entre no SEOC como ensinado anteriormente, com a tecla SHIFT pressionada, ir na tabela Natureza e acrescentar os dados. Criei essa dificuldade de propósito, uma vez que a natureza é fundamental para geração de estatísticas e não deve ser inventada aleatoriamente.

Bom, depois de entrado com a natureza, o próximo campo é data, entra com dia, mês e ano, desta forma: 01012015, sem digitar barras.
O próximo campo é data: 1200, sem pontos. Perceba que os campos hora aproximada e dia da semana foram preenchidos automaticamente.


O campo é logradouro. Mantenha pressionada a tecla ALT e clique na seta para baixo para abrir uma listagem com os logradouros existentes ou digite a primeira letra do logradouro. Caso não houver o endereço desejado, clique lá na barra suplementos no menu Consultas, depois escolha a opção Logradouros.



Não se preocupe agora com as demais consultas, pois irei explicar as principais depois.
Após clicar em Logradouros surgirá uma tela pedindo para que você entre com um dado do logradouro. Isso ocorre para que você possa consultar se o logradouro existe, antes de criá-lo, como já mencionei antes.


Digite, por exemplo, campos e clique em OK. Uma listagem com todos os endereços contendo a palavra "campos" aparecerá, resultado em 39 registros.


Isso é importante: Se você alterar algum registro já existente aqui e ir para um outro registro que fica em outra linha, este dado permanecerá alterado. Eu poderia ter deixado essa consulta somente como inclusão, ou seja, você somente poderia adicionar novos endereços. Contudo, achei mais interessante a opção de consultar antes de criar.
Bom, vá para um novo registro criando na seta com o asterisco na frente, digite um novo endereço, escolha o tipo (R, Av, TV, etc.) e se houver um título (Mal., Sen., Com., Dom, etx.) e vá para um novo registro dando Tab. Depois clique no botão Stop para voltar para o formulário de Entrada de dados.


No meu exemplo deu uma mensagem de erro, que acredito seja devido o campo Logradouro estar vazio, pois ele é obrigatório em cada ocorrência, mesma que tenha que ser descrito como Desconhecido. Se no seu teste ocorreu a mesma mensagem, clique no botão OK.


Inclusive no meu caso, o logradouro que eu acabei de incluir não se encontra na lista, pois a tabela de Logradouros não foi atualizada. Deveria estar ali antes de Campos Salles && Julio Cesar.


Contudo, se eu fizer um consulta o novo logradouro se encontrará lá. Quer apostar?



Por que isso ocorre? Porque somente a tabela não foi atualizada para o formulário Entrada de dados, mas o registro já existe na tabela. Para evitar que esse fato ocorra no futuro, na hora de entrar com o logradouro, verifique se existe o qual necessita. Se não existir, pule para o campo Número antes de fazer a consulta para o logradouro. Contudo, caso um dia isso ocorra, é simples: refaça como eu acabei de mostrar a consulta logradouro, clique no botão Stop e pronto, o registro aparece!


O próximo campo a ser digitado é o Número, depois o Bairro, Referência, Área, e fechamos a primeira parte da entrada de dados.


A segunda parte de preenchimento se refere a dados quando ocorre algum tipo de acidente de trânsito. Contudo, o primeiro deles, Iluminação, deve ser sempre alterado, para Dia ou Noite, ou ainda Desconhecido se não for informado o horário da ocorrência. Os demais campos, quando necessário, basta escolher uma das opções existentes ou deixar como Não se aplica.


Agora vamos a outro trecho importante da entrada de dados, que é onde entraremos com as informações dos envolvidos na ocorrência. Teremos até 7 registros para os envolvidos, mas caso a ocorrência possua mais que esta quantidade, é só preencher todos os dados, depois ir para um novo registro do SEOC, digitar novamente as informações referentes à ocorrência, desde número do BO até Iluminação e opções de acidente de trânsito, caso se trate disso, entrar com os demais envolvidos e prosseguir com o registro.


O primeiro campo dos envolvidos é a Condição. Para saber o que significa os códigos existentes, entre na barra Suplementos no menu Ajuda, depois escolhendo a opção Entrada de dados.


Neste formulário de ajuda, existem várias dicas para preenchimento da entrada de dados das ocorrências, mas vamos descer um pouco a tela e chegar aos códigos da condição do envolvido, que em geral está relacionado aos boletins confeccionados pelas GCMs e PMs do Brasil.


Retorne ao formulário Entrada de dados, entre então com a condição do envolvido, depois com o Bairro onde ele reside e Cidade. A data de nascimento deve ser preenchida tal a data de ocorrência: 01011968. Perceba que ao terminar de entrar com o nascimento, você já pula para o campo Sexo, onde a idade já é calculada. Se o nascimento ficar vazio, ao dar Tab para o campo Sexo a idade será preenchida como D de desconhecida. Agora Entre com o sexo, depois Profissão. O último campo, Veículo, é um campo chave para a entrada de dados dos envolvidos e deve sempre ser preenchido. Em geral quando não se tratar de acidente de trânsito, escolha a opção Não se aplica.


Pronto! Entramos com o dado do primeiro envolvido. Eu vou entrar com mais um, para dar umas dicas para os amigos.
Supondo que o segundo envolvido seja alguém desconhecido, ou seja, você não tenha nenhuma informação dele, inclusive no momento da confecção da ocorrência nem do sexo do mesmo, então entre com a condição do envolvido como D e vá dando Tab até chegar no Veículo e escolha a opção Não se aplica ou Desconhecido, caso se trate de um acidente onde o veículo é desconhecido. Depois dê mais um Tab e veja o que aconteceu.


O sistema preencheu todos os campos como Desconhecido. Esse é um detalhe importante: você deve preencher desta forma caso o autor da ocorrência seja desconhecido, pois assim se somará mais um envolvido na ocorrência e isso para fins estatísticos é fundamental. É óbvio que se o desconhecido citado for o autor da ocorrência que se evadiu do local, no Boletim estará a sua condição como AC de Acusado, então esse código deverá ser utilizado no lugar do D de desconhecido no campo Condição. Vamos entrar com mais um envolvido: digite V na condição, escolha os demais dados de acordo com a sua imaginação e no veículo escolha Motocicleta. Perceba que o campo lá embaixo denominado Vítima 01 ficou disponível para preenchimento. Logo chegaremos nele.


Sempre que não houver mais envolvidos para registrar, quando chegar ao campo Condição, deixe-o vazio e de um Tab. você pulará para o campo Observações. No nosso exemplo, como existe uma vítima entre os envolvidos, você pulará antes para o campo Vítima 01, onde deverá dizer o que ocorreu com a vítima. As opções mais utilizadas quando se trata de acidente de trânsito, que é a minha especialidade, são Liberada no hospital e Hospitalizada. Contudo, a vítima pode ser liberada no local, portanto, existe esta opção. Quando a vítima fica hospitalizada, o que será o caso desse nosso exemplo, significa que seria necessário fazer um acompanhamento no hospital para onde esta foi enviada, para saber se ela veio a ser liberada posteriormente ou, infelizmente veio a falecer. É desta forma que procedemos por aqui em meu Departamento de Trânsito, quando se trata de uma vítima que ficou hospitalizada. Algumas vezes pode ocorrer que o hospital não tenha informações sobre a vítima, e para isso existe a opção Não informado. Caso o hospital retorne a informação de que foi liberado, mas a vítima teve sequelas, utilize neste caso esta informação específica.
Bom, depois de entrar com o dado da vítima, no nosso exemplo, como hospitalizada, dê um Tab para ir para o último campo a ser preenchido. Perceba que a caixa Pendências foi selecionada.


Isso ocorre porque o sistema entende que você deva dizer no futuro o que ocorreu com essa vítima. Existe uma consulta específica para isso que veremos depois.
Agora, no último campo Observações, podemos fazer um breve resumo do ocorrido na ocorrência, que pode ser assim no nosso exemplo: Envolvido 01 alega que houve tentativa de assalto pelo envolvido 02, que a se evadir do local, aparentemente embriagado, entrou na frente da envolvida 03, que transitava e ao desviar, caiu ao solo.
Se houver mais alguma informação Chave, o campo Observações é o local recomendado para isso. Na descrição acima eu utilizei duas palavras chaves, que possui consulta própria, para testarmos depois. Agora basta dar um Tab e iremos para um novo registro em branco do SEOC. Pronto! Seu registro foi salvo.



Normalmente a digitação de um registro é muito mais rápida do que nesse nosso exemplo, portanto não se assuste.
Agora feche o formulário Entrada de dados e vamos testar algumas consultas e relatórios, para ver a eficiência do SEOC.
No menu Consulas, as opções Alteração e Exclusão servem, como o nome já diz, para alterar e excluir registros. Tome muito cuidado ao excluir registros de ocorrências, pois estes não poderão ser recuperados.



A consulta Logradouro comparativo por ano traça uma comparação entre as ocorrências de um local em relação ao ano escolhido.
Outras duas consultas, "Logradouro por BO, data e hora" e "Logradouro por BO, número e referência", trazem um formulário com uma listagem de ocorrências, onde no final de cada linha é possível acessar o registro completo, através de um botão, para ter acesso aos detalhes da ocorrência.


A consulta Palavra chave serve para localizar qualquer palavra ou detalhe personalizado existente no campo Observações. Por exemplo, no campo observações pode ser inserida sempre a informação de quando algum envolvido na ocorrência se evadiu. Desta forma basta consultar depois por períodos em quantas ocorrências existiu a evasão de alguém.


A consulta Pendência serve para mostrar todos os registros onde ainda não foi informado o destino das vítimas, ou seja, elas se encontram ainda como condição Hospitalizada.
A consulta Tipos de colisões é utilizada quando se trata de uma ocorrência de acidente de trânsito ou exista o envolvimento de um veículo, para auxiliar no preenchimento do campo Tipo de colisão. É marcado os pontos de impacto do veículo e depois solicitado um possível tipo de colisão correspondente.




Agora passemos brevemente aos relatórios prontos dentro do SEOC, lembrando que através desses dados pode-se montar muitas planilhas personalizadas.



Já estão incluídos no programa relatórios por Bairro, Boletim, Cruzamento, Envolvidos, Logradouro, Natureza, Tipo de colisão e Veículo, sendo cada tema com uma consulta específica por ano ou data específica, e outros detalhamentos.

Para finalizar, não se esqueça da importância de se fazer uma cópia de backup do SEOC sempre que o mesmo for atualizado, o que é simples, por se tratar de um arquivo único. Quaisquer outras dúvidas que surgirem, reclamações ou sugestões, estou a disposição via e-mail: jgcosta@ymail.com.

Abraços renovados!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Agradecido por comentar!
Abraços renovados do amigo JoeFather!