Escolha uma opção:

sexta-feira, 4 de novembro de 2011

Através das lentes do amor


Clique na imagem para ver de onde ela veio!


Não sou fotógrafo, isso é bem verdade, mas isso não me impede de ajudar as pessoas quando me pedem.
Assim sendo, dias atrás, fui convidado por um grupo de amigos para tirar algumas fotografias numa festa familiar, já que estava muito em cima da hora para arranjarem um profissional. E lá fui eu armado com minhas boas intenções e uma máquina fotográfica digital, que podemos rotular de “meia boca”, na verdade quebrava um galho enorme.
A festa durou por volta de umas três horas, tempo o suficiente para cerca de 100 fotografias.
Infelizmente fiquei sabendo depois que o resultado desse meu favor não agradou muito as pessoas, quase na sua totalidade. Os que não detectaram um close mal feito,  um desastre completo.fias. fotografias enquanto a festa deles rolava solta.viram uma má iluminação, ou uma foto tremida, enfim, um desastre completo.
Só que o mais estranho para mim é que achei que as fotografias ficaram ótimas, cheias de vida, então fiz uma ousada proposta para esse grupo de amigos que mesmo não achando uma boa idéia, resolveram aceitar.
Marquei para uma semana depois uma reunião com eles onde exibi uma apresentação em slides de todas as fotos que fiz na festa. Em cada uma das fotografias que exibi pedi para que os integrantes da imagem relacionassem o que viam. Foi uma chuva de desaforos! Só enxergavam os defeitos. Passei todas as imagens e escutei tudo que eles tinham para me dizer.
Depois disso abri uma nova apresentação com as mesmas fotos, só que agora eu realçara com círculos vermelhos todos os detalhes que existiam em cada uma das imagens. Mostrei-lhes os sorrisos que eles não viam, os abraços, os carinhos, os olhares - onde iniciavam e terminavam, demonstrei-lhes com esse simples gesto e aquelas fotografias registravam muito mais que imagens opacas, pois estavam impregnadas de amor, algo que casualmente eles pareciam ter esquecido até mesmo do seu formato. Terminamos essa sessão todos com lágrimas a escorrer pelas faces e num mar de agradecimentos eu fui acolhido.
Creio que nesse dia eles aprenderam algo que eu já sabia: se souber olhar sempre conseguirá ver o amor, mesmo na mais triste imagem que seus olhos captarem.

10 comentários:

  1. Grande lição !

    Precisa ser divulgada, caro amigo !

    Um abraço.

    ResponderExcluir
  2. Triste lidar com pessoas que só veem os buracos do queijo! Beleza, irmão.
    Meu abraço.

    ResponderExcluir
  3. Que maravilha isso!E como precisamos sempre dessas lentes! Adorei! abração,chica

    ResponderExcluir
  4. É, Joe, tantas vezes vemos apenas os defeitos e esquecemos as qualidades das coisas e das pessoas. Este é um dos mais graves problemas do ser humanos. Abraços.

    Luis Antonio Matias Soares, do Recanto das Letras.

    ResponderExcluir
  5. Ai Joel,acabei de vir da mostra cultural de minha filha onde tb fiz algumas fotos e...ficaram um desatre!Nem te conto!...rss...mas a sua lição foi mesmo muito bonita!bjs,

    ResponderExcluir
  6. Você foi prestativo e muito inteligente, texto reflexivo, ser agradecido sempre e ter o dom da gratidão. Parabéns.

    ResponderExcluir
  7. Agradecer sempre, mesmo que não sejam tão favoráveis para nós. Abração.

    ResponderExcluir
  8. O amor nem sempre é reconhecido, mesmo quando sem pretensões ele é doado. Parabéns pela postagem, muitas vezes precisamos desse "toque".

    ResponderExcluir
  9. Meu amigo:
    Basta só um olhar diferente e tudo se altera para melhor.
    Adorei a lição.

    beijinhos

    ResponderExcluir
  10. ADOREI JOE, ADOREI, não só a lição pois o ser humano se esquece completamente dos verdadeiros valores como de sua persistência em lhes mostrar o quanto aquelas fotos valiam, parabéns te admiro muito, beijos Luconi

    ResponderExcluir

Agradecido por comentar!
Abraços renovados do amigo JoeFather!