Escolha uma opção:

domingo, 3 de abril de 2011

Preciso melhorar - Carlos Soares


Clique na imagem para ver de onde ela veio!


Dando um passeio pelos blogs dos amigos, que são muitos e meu tempo é escasso, eis que me deparo com um reflexão muito interessante no blog do amigo Carlos Soares - O Menino Beija-flor!

O texto chamado Preciso Melhorar, que você pode ler ao clicar em seu título, nos remete a uma realidade impressionante, uma das características principais do ser humano. 

Mas antes que siga em frente, gostaria que lesse o texto desse meu amigo, para que pudesse até entender um pouco melhor o meu ponto de vista.

Já leu? Como você é rápido! Foi linha por linha ou deu uma "pincelada" aqui e ali? Não fez direito, então volte e faça melhor, procure melhorar, sempre, a cada instante, inspirado em pessoas como ele, inspirado na excelente pessoa com a qual você se depara todos os dias em frente ao espelho, com algumas rugas ou pés de galinha a mais, mas com certeza alguém especial...

Agora sim, chegamos ao ponto.

A história do meu amigo Carlos me conduziu de volta ao tempo, para uma época em que eu me sentia feito um menino mimado, que apesar de não ter nada, me julgava superior aos demais, tanto na inteligência quanto em outros aspectos.

Era eu então um garoto de 13 para 14 anos, que fazia SENAI, que não encontrava dificuldade alguma em ultrapassar os desafios, que olhava para todos com desdém, que fora remetido para uma pequena empresa de fundo de quintal (literalmente) para fazer um estágio nas férias, onde iniciaria a aplicação dos meus estudos da área mecânica.

Nessa empresa, que julgava ser o pior buraco do mundo, eu, um potencial torneiro mecânico, fui colocado para desentortar chapinhas de aço. Senti-me humilhado e por dias pensei em achar um jeito de aprontar uma das boas para ser expulso dali, para que meu pai percebesse a besteira que foi me obrigar a fazer SENAI, para dar um basta àquela situação que meu superego não aceitava.

O que eu fiz? Mesmo sem precisar de dinheiro, meu pai nunca me deixou faltar nada, arranjava tempo para "fuçar" nas coisas dos outros empregados e acabei achando um cheque numa dessas minhas buscas. Sem nem pensar peguei o mesmo e na hora do almoço fui numa banca de revistas de onde saí com várias e o troco esbanjei com porcarias.

Esperei uns dias e como ninguém criou alarde quanto ao furto, me senti por cima da carne seca e me aventurei novamente. Como disse antes, sempre achei ser superior aos demais em muitos aspectos, mas acabei caindo numa armadilha ao pegar mais algumas notas de uma calça no vestiário. Deixaram de propósito e na hora do almoço fui pressionado a devolvê-las, o que fiz sem esquentar a cabeça, uma vez que o meu objetivo era esse mesmo: causar um transtorno e ser mandado embora!

O próprio dono da empresa me pediu para que aguardasse, não falou uma palavra para mim na frente dos outros funcionários, que foram saindo para almoçar. Quando ficamos sozinhos, eu já esperando a maior bronca do mundo, o patrão me envolveu com palavras que me fez em minutos mudar da água para o vinho.

Foram palavras de um pai para um filho, não de um patrão para um funcionário mal agradecido. Falou-me sobre a sorte que tinha de ter uma família, uma inteligência muito grande, um teto para voltar, uma perspectiva de futuro. Explicou-me que não havia humilhação nenhuma em começar por baixo, desentortando hastes de ferro ou varrendo ruas, que cada função tinha o seu importante valor e crescer profissionalmente de uma forma fundamentada e sólida dependia exclusivamente dessa humildade que deveríamos carregar dentro de nós.

No fim de tudo ele me fez a proposta de "pedir a conta", para não sujar a minha carteira profissional, o que eu fiz. Quando cheguei a casa naquele dia e meu pai me perguntou por que eu havia saído do emprego, eu lhe disse a verdade. Ele ficou triste, pois sabia que eu não tinha motivos para isso. Eu lhe disse que havia feito aquilo por estar revoltado contra o mundo, mas que isso jamais voltaria a acontecer, o que é verdade.

No SENAI quando retornei das férias meu professor de ajustagem mecânica me chamou de lado e perguntou por que eu havia saído da empresa onde eu era aprendiz. Novamente lhe falei a verdade e ele achou que esse era o primeiro passo para deixar de ser um garoto e me transformar num homem, admitir seus erros e evoluir!

Até hoje não sei quem espalhou esses meus "feitos" dentro do SENAI, pois tive que me desligar devido a pressão, afinal, era só desaparecer um pente dos armários que já me tinham como culpado. Foram os responsáveis na época pelo SENAI diversas vezes em minha casa para tentarem me fazer mudar de idéia, mas eu lhes expliquei que as consequências dos meus atos deveriam ser absorvidas por mim mesmo e que eu iria trilhar um outro caminho. No futuro voltei e terminei meus cursos, com mérito, mas na hora certa, assim entendo.

Creio que todos temos sempre que seguir com esse lema em mente, acendendo e apagando como num anúncio: PRECISO MELHORAR, PRECISO MELHORAR! E você, também mantém aceso esse letreiro de néon? Conte para mim qual foi o grande momento de mudanças que ocorreu em sua vida. Isso não é um desafio, isso é um pedido, você pode acabar dando um bom exemplo para a vida de alguém, quem sabe para mim mesmo!.

O meu primeiro passo para me tornar uma pessoa melhor foi dado naquele dia em que um anjo em forma de homem me estendeu a mão e me mostrou qual o melhor caminho a seguir. Esse mesmo anjo já retornou de onde veio e nesse momento deve estar ajudando outros que, assim como eu um dia precisei, necessitam ver uma luz no fim do túnel. Espero um dia lhe encontrar de novo, para lhe dar um abraço e lhe agradecer direito por ter me transformado num grande homem, igualzinho a você que me lê agora...

6 comentários:

  1. Li toda tua resposta ao texto lindo do Carlos antes de ler o próprio.

    Adorei ao ver que derramaste aqui teu íntimo e mostarste o qusanto és dotado de consciência, que teu pai te ensinou pelo exemplo.

    Lindo! Foste fundo! abração,ótimo domingo,chica

    ResponderExcluir
  2. Pois é Meu Amigo... Eu acho que nessa vida estamos todos na condição de aprendiz. E temos a sorte de encontrar pessoas boas em nosso caminho que nos ajude a crescer e evoluir.
    Quando temos boas sementes plantadas no terreno fértil do coração, basta um pouquinho de água e incentivo para que elas germinem.
    O mais importante que eu vejo tanto em sua história quanto na do Carlos e acredito que na minha também seja que não tivemos medo de assumir os nossos erros e encaramos as nossas atitudes de frente. Boas ou ruins elas fizeram e fazem parte do que verdadeiramente somos. Negá-las seria ir contra a nossa própria existência.

    Eu agradeci ao Carlos esse momento de reflexão e faço o mesmo para você: Obrigada!

    Deixo para você um abraço carinhoso e o desejo de um dia lindo!

    ResponderExcluir
  3. Joe,que belo relato!Li a postagem do Carlos tb e vejo a sincronicidade.Na vida,temos momentos de aprendizagem constantes e sou uma pessoa que vive errando e acertando,como todo mundo.Tb preciso melhorar!Bjs,

    ResponderExcluir
  4. Relato profundo. Evidenciou com sensibilidade a sementinha que cresceu em teu coração. Parabéns, poeta amado! Abração.

    ResponderExcluir
  5. Olá amigo...este é o grande segredo da vida, aprovitar cada ensinamneto qu a vida nos dá e assim realmente mudar se for preciso nossas atitudes erradas, impensadas...acredito que no decorrer da vida ainda vamos errar muito...faz parte do ser humano
    Que possamos então encarar nossos erros, assim como você o fez e assim teve a oportunidade de crescer...aprendendo a lição...
    Obrigado pela passagem lá no Verseiro
    Um abraço na alma
    Boa semana

    ResponderExcluir
  6. Ei Joel,

    Nossa adorei as duas histórias, acho que é louvável saber quando errou, admitir e conseguir mudar de atitude!

    Beijos.

    ResponderExcluir

Agradecido por comentar!
Abraços renovados do amigo JoeFather!