Escolha uma opção:

quinta-feira, 13 de janeiro de 2011

Pelas vítimas do Rio...

Imagem área mostra devastação em área de Nova Friburgo (Foto: Marino Azevedo/Governo do Estado do Rio de Janeiro)

Antes cidade, hoje saudade 

Antes ali era uma cidade
Hoje para muitos, saudade
Pessoas ainda desaparecidas
Em meio a lama nas descidas

Meu coração se aperta num nó
Me sinto um grande inútil e só
Posso enviar roupa, dinheiro
Medicamento e comida

Mas como devolver a alegria
Para aqueles cuja alguma vida
Durante a catástrofe foi perdida?

Só me resta então uma opção
Fazer junto a todos mais uma oração
E pedir ao Pai que Lhes dê abrigo
Que Lhes livre de todo o perigo

Que Leve conforto à suas dores
Não para que esqueçam os seus amores
Mas para que possam nesse instante
Encontrar forças para seguir adiante

Apesar de que é certo:
Antes ali era uma cidade
Hoje para muitos, saudade

13 comentários:

  1. Tristeza tudo isso.Fizeste um lindo poema, apesar de tudo! abraços,chica

    ResponderExcluir
  2. Jeo, isso é tudo verdade amigo, infelizmente esse povo lá no Rio está sofrendo demais...

    ResponderExcluir
  3. Cao amigo,
    É com tristeza que tomamos conhecimento das mais de duzentas mortes na região serrana do Rio de Janeiro. Essa região, que conheci há 33 anos, quando me casei,me deixou a melhor das impressões. É triste ver os lugares onde estive com minha esposa, entao recém casados; totalemtne demolidos. O Hotel onde ficamos em Teezópolis está arrazado, a cidade ídem; Nova Fribugo, dos licores e do mantecal, totalmente arruinado, Petrópolis, da Monarquia, com suas belas casas e museus, destruída. Tudo é terrível; a Natureza rebela-se com tanto maltrato. Que o bom Deus mantenha essa gente calma e que os políticos encotrem algum modo de prevenir tais catástrofes que se repetem ano a ano nas três cidades, juntas ou altenadas. São Sebastião, proteja o Rio de Janeiro, Petrópolis, Nova Friburgo e Terezópolis.
    Amém!

    ACAS

    ResponderExcluir
  4. Joe
    Que lindo poema!
    Eu ate quero copiar, porque é uma bela oração.
    Que a corrente da misericordia e da caridade se estenda por muitos lugares.
    Aqui no sul de Minas Gerais também teve algumas tragedias
    com carinho Monica

    ResponderExcluir
  5. É triste, amigão. É o caos urbano. Densidade demográfica, falta de política habitacional, etc. A gente não pode culpar a pessoa de morar no morro, pois não tem para onde ir. E as chuvas nos últimos anos têm sido implacáveis. Essa é a tragédia anunciada. Todo munhdo sabe que vai acontecer todos os anos. Um abração

    ResponderExcluir
  6. Nossa Joel, muito bom. Sou carioca e agradeço sua homenagem pelas catástrofes que assolam todo o Rio de Janeiro. Um grande abraço, que Deus te abençoe.
    Igor Gonçalves.

    ResponderExcluir
  7. Nessa triste realidade, amigo, faz bem ler poesia... como carioca, agradeço a homenagem.

    Bjs!!

    ResponderExcluir
  8. Olá. Obrigada pela visita e por seu comentário acerca dos meus versos.

    Vim conhecer seu espaço e me encantei com os seus poemas. Lindos!

    Esse, em especial, emocionou-me.
    É muito triste esse momento em que estamos vivendo... e ao mesmo tempo parece que é um flash back. Quando é que isso vai ter fim? Todos os anos temos que lidar com esse tipo de tragédia e ninguém faz nada... é revoltante! :(

    Sigo-te!
    Um abraço.

    ResponderExcluir
  9. Ei, Joe! Tem tanta razão... o sentimento da gente é de absoluto estado de impotência. Dá vontade de estar lá, não só ajudando, mas abraçando, conversando, presente perto das pessoas. Nesses momentos é tão essencial quanto a ajuda em donativos. Já passei por coisa semelhante. Valeu pelo belíssimo e emocionante poema. Meu abraço. paz e bem.

    ResponderExcluir
  10. Olá Joe Father, desejo que tudo esteja bem contigo, sempre!
    Este é um dos erros que considero primário e digno de estupidez no homem. Pensar que pode desafiar as leis da natureza e sair ileso!
    Da mesma forma acho tolice maior ainda o povo votar por conveniência, o famoso voto regional, político da região, gente quando vamos aprender que se somos tantos, eu creio que seja pra viver coletivamente, e tenho certeza que votar em fulano por ele ter conseguido um emprego pra cicrano jamais resolverá o problema da coletividade. É isso, ou adotamos o modo de viver nós, ou continuemos com este egoísta eu e chegaremos fatalmente à extinção, porém antes vamos presenciar e sofrer com tantas catástrofes anunciadas. O sistema tem culpa, mas quem faz o que deseja e planejou o sistema também tem sua parcela de culpa também!
    Meu caro Joe me desculpe ter me excedido em teu belo espaço de belos poemas, mas é impossível ficar alheio a tanta tragédia que poderia ser evitada!
    Desejo pra você e todos ao redor iluminada e feliz existência, sempre, obrigado pelas vistas e comentários, grande abraço e até mais!

    ResponderExcluir
  11. Oi,
    É difícil assistir as cenas tão fortes e não se emocionar, porque tantas pessoas passam por tantas provações!
    Desejo dias melhores para todos...

    Beijos.

    ResponderExcluir
  12. Muita dor, muita dor... Teresópolis como Fribugo está acabada e Petrópolis muito atingida, também.A perda de vidas é a dor que avilta, que não podemos aceitar sem uma efetiva cobrança às autoridades responsáveis.

    ResponderExcluir

Agradecido por comentar!
Abraços renovados do amigo JoeFather!