Escolha uma opção:

quarta-feira, 5 de janeiro de 2011

Amizade dolorida!



Há muitos e muitos anos, num reino distante, viviam o Rei, a Rainha, Princesas, os pupilos que preenchiam a corte (uma cambada por sinal) e o povão, para variar.
Dentro dessa corte existia (como em todas) um fidalgo meio safado, que há muito estava de olho grande na Rainha, que por sinal era uma dona Rainha!
Como a dona Rainha também era chegada num adultério, acabou rolando um belo caso entre ambos, que chegavam a se encontrar em quase todas as noites.
Como de praxe em toda a corte também existe um Caxias dedo-duro aproveitador, que ficou sabendo da safadeza bem nas barbas do monarca, e querendo entrar na brincadeira quis fazer chantagem, mas foi declaradamente deixado de lado pela Rainha.
Bom, além de Caxias dedo-duro aproveitador o dito cujo também era vingativo! Então armou um fragrante para os dois, onde o Rei os pegou com a mão na massa! Bom de fato, não sei quem estava com a mão na massa de quem, mas o fato é que os pegou no flagra.
Mandou prender o safado da corte e deu um gelo na Rainha. Chamou o escrivão (tinha que ter né) e pediu que ele redigisse o seguinte comunicado:

"Meu povo, venho hoje tristemente trazer ao conhecimento de todos que a Rainha e o fidalgo Martins embalaram nos últimos meses numa traição, que aqui ficará conhecida doravante como Amizade Colorida, por se tratar de um caso entre os dois onde se ia além da amizade, sim, chegavam aos finalmente, coisa que nem me lembro mais como é!

Fica portanto decretado que hoje, ao meio dia, depois do almoço farto que irei fazer, que o fidalgo Martins será castrado em praça pública, servindo assim de exemplo a todos os demais que estiverem pensando em dar uma escapadinha por fora.

Já mandei preparar uma guilhotina especial, com a lâmina meio cega, para dar um gostinho especial ao espetáculo. Na verdade tinha pensado num serrote, mas o Human Rights vetou!"

Mandou depois que o escrivão anotou tudo que ele imprimisse umas cem cópias, que deveriam ser coladas por todo o reino, para atrair o povão.
O meio dia chegou, o circo foi armado e o fidalgo foi desarmado. Muitos saíram sem entender direito o que tinha a ver a expressão criada pelo Rei, pois o escrivão já de idade e meio surdo, na hora de redigir trocou a letra "C" por "D", levando a opinião pública a pensar que o caso entre o fidalgo e a Rainha se tratasse de uma Amizade Dolorida, o que de fato não estava longe da verdade.
Perguntem ao fidalgo...

8 comentários:

  1. Oh Céus pobre fidalgo. Só ele foi castigado! A rainha ...nada...o rei que não comparecia ...nada.... o dedo duro...nada. Vida injusta! rsrsr. Adorei o conto.
    beijos

    ResponderExcluir
  2. Hahahahahahaha essa estória parece tão real, hahahahahaha, como os homens imitam os contos né? Ou seriam os contos que imitam os homens?????

    ResponderExcluir
  3. kkk Ótimo!!! rs

    Muito obrigada pela sua visita ao meu blog.
    Feliz ano novo!

    ResponderExcluir
  4. Adorei a História embora com muita pena do Fidalgo e da pobre Rainha que não puderam mais desfrutar plenamente de sua amizade (c)dolorida.

    ResponderExcluir
  5. Com dizem na modernidade: você "matou a pau". hahahaha! Muito bom! Abração. Paz e bem.

    ResponderExcluir
  6. Olá!
    Que bom retornar ao blog e as postagens...Principalmente por estar aqui e ler um história!

    Espero que esse novo ano seja ainda melhor para todos nós, que 2011 seja um ano de sucesso para você!

    Beijos com o meu carinho

    ResponderExcluir
  7. É por mais essa que "mulher de amigo, vizinho e principalmente rei" é homem. Sempre. Hilário. Abração.

    ResponderExcluir

Agradecido por comentar!
Abraços renovados do amigo JoeFather!