Escolha uma opção:

domingo, 13 de março de 2011

Buraco negro



Você acha que tem um trabalho muito ruim, imagine se eu lhe contar o meu.
Tá certo, não é dos piores, mas exige um comprometimento lascado. Pior que o meu só o do camarada ali.
Imagine uma tarde de sábado, um escritório quente sem ar condicionado, que é responsável por um milhão de processos e somente um funcionário que ficou encarregado de tirar outro milhão de cópias destes processos, numa máquina de xérox mais antiga do que uma senhora de idade avançada.
Imaginou?
Pois é, esse funcionário existe, olha ele ali, com uma cara de dar medo.
Imagine também então a felicidade que ele deve estar sentindo, principalmente por saber que não vai ganhar nem um centavo a mais por isso, uma vez que está pagando horas que o seu terrível chefe – palavras dele - descontou dos dias em que ele chegou atrasado.
Seu pensamento fixo é que a porcaria do relógio não sai das 15 horas, fica se arrastando, os segundos transformaram-se em minutos e os minutos em longas horas. O suor escorre por seu rosto e a água fervendo do bebedouro não ajuda em nada no seu ânimo.
A ansiedade é gritante porque faltam somente umas cem cópias, depois é só organizar tudo dentro das pastas específicas, separar por prioridades, catalogar no livro de ações e depois registrar tudo em outro livro de serviço. Ele fica “feliz” em lembrar disso, assim, devido a essa droga de burocracia vai sair lá pelas 10 horas da noite.
Mas também, nem sei por que ele está com pressa de ir embora, sua geladeira lhe espera vazia no seu também sufocante apartamento de três cômodos, não existe ninguém esperando o seu retorno de braços abertos, o dinheiro do pagamento do dia anterior só serviu para pagar os gastos atrasados, literalmente não estava trabalhando nem para comer.
Durante a semana teve a infeliz idéia de desabafar sobre os seus problemas com seu “querido” chefe, sonhando com algum reconhecimento por algo que ele não merecia, e assim quem sabe recebendo de presente um aumento. De fato recebeu, não está vendo? Um aumento de trabalho através dessa escala não remunerada.
Está se entupindo com mais um copo de água, que apesar de estar horrível é melhor do que o ronco que incomoda seu estômago.
Vamos, vamos copiadora jurássica, só mais cem cópias - leio em seu pensamento, enquanto aperta diversas vezes o botão verde. Mas vejam só isso? Parece que a máquina vai lhe deixar na mão. Tampem os ouvidos que estou sentindo que lá vem um palavrão: %&*##$@¨%!!!
Bom, o xingo não resolveu, mas ele não se dá por vencido, quem sabe uma bicuda.
Caramba! Creio que a máquina é dura, escutei o baque daqui, só faltava ele entornar a ponta do sapato velho ou quebrar um dedão, epa, voltou a funcionar, faltava só um empurrãozinho.
Mas ele não está com sorte, vejam que bela impressão: um círculo preto. Ele deve ter ferrado a copiadora e só faltava essa, agora que ele só sai dali amanhã, se a sorte ajudar.
Eu no lugar dele amassava a prova do crime rapidinho e triturava, mas ele não, parece calmo até demais ou cansado o suficiente para não dar bola para mais nada. Pega a estranha impressão e forra um pedaço lateral da máquina.
Mais uma olhada no relógio, mas uma golada de água quente, e agora creio que ele vai tentar retomar o trabalho. Mas o que é isso, cadê o copo, sumiu quando ele o colocou sobre o círculo preto. Essa seria a hora de parar tudo, dar meia volta e ir embora, escute o que eu digo, tenho experiência no assunto. Mas não nosso amigo, ele é curioso, precisa saber o que aconteceu.
Encosta primeiro um dedo no círculo e o afasta, parecendo ter levado um choque. Mas foi só reflexo, pois enfia a mão dentro do círculo agora sem receio e como um mágico tira não um coelho, mas o copo lá de dentro.
Agora também seria uma ótima hora para dar no pé, mas você já sabe que isso não vai acontecer. Então vou continuar narrando tudo que vejo.
Ele levanta a folha com o círculo no ar e lhe dá uma boa olhada, não há sombra de dúvidas que seja um papel comum. Mas ele enfia um braço no círculo e a mão não aparece do outro lado, como se fosse para outro lugar...
Espere, isso é coisa do, do, não posso falar o nome dele, vamos usar um sinônimo, sim, é coisa do mal, só pode ser. E como tal não se pode esperar que o final dessa história seja feliz, meu sétimo sentido está prevendo isso.
Mas esperem, creio que o nosso amigo encontrou uma utilidade para a folha mágica, mas o que será que ele está pensando? Não, não pode ser isso, pare com isso cara!
Ele se aproxima com a folha e a encosta numa máquina de guloseimas e faz o teste, que dá certo! Consegue atravessar a mão pelo vidro através do buraco e volta com uma barra de chocolate.
Não posso culpá-lo, o dia todo sem comer, mas isso se chama furto, meu filho.
Até concordo que fazer um plantão inteiro sem forrar o estômago é complicado, mas ele chegou ao fundo do poço se teve que apelar para tal atitude, por mais absurdo que seja o método utilizado.
Você concorda comigo que agora novamente é o momento fatídico para se brecar toda uma situação que pode ter conseqüências desastrosas. Mas creio que assim como eu você também está começando a prever o futuro do nosso amigo e não prevejo que ele seja dos melhores.
Falando nisso lá vai ele em direção ao escritório do seu amado chefe, imagino que ele vai aprontar alguma, mas nem faço idéia do que.
Para abrir a porta foi fácil, é daquelas que tem um dispositivo interno que libera a tranca, bastou colocar a folha com o círculo colada na porta, atravessar a mão pelo papel mágico e abri-la por dentro.
Creio que ele vai bagunçar a mesa do chefe, mas espere, ele passou direto por ela e veja só que interessante, tem um grande cofre no fundo da sala. Agora imagino em que trapalhada nosso amigo vai se meter.
Ele nem olha para os lados, sabe que está sozinho, sabe o que quer fazer e não reflete um segundo.
Uma esperança! Ele volta para a mesa do chefe, talvez tenha mudado de idéia, vai só fazer algum brincadeira sem graça e dar no pé, retornar à copiadora, terminar seu serviço, passar uma borracha nos últimos minutos.
Nada disso, somente encontra um rolo de fita do tipo Durex e volta correndo para o cofre. Cola desesperadamente a folha na parede de aço maciço e enfia um braço, quase que imediatamente o retirando com um maço de verdinhas, o qual ele admira por alguns milésimos de segundo, antes de voltar a enfiar o braço novamente e sair com outro maço, agora mais desesperado ainda.
É, ele está cavando um buraco sem fundo para ele mesmo, sabemos disso. O que? Você não sabe de nada, não está acreditando em nenhuma palavra do que eu disse, não é mesmo. Eu sabia que isso ia acontecer, mas para seu conhecimento eu não posso mentir, tenho um juramento sagrado que me impede.
Mas não pense você que eu não tenho provas, sou um ser moderno e sempre carrego comigo preso na cinta uma máquina fotográfica que também filma, maravilha de tempos modernos! E advinha só, filmei tudo, do começo ao fim, bom, quase isso!
Ainda não acredita, então olhe abaixo o registro que eu fiz, olhe e perceba o tamanho da burrada desse nosso amigo.








E aí, o que achou? Eu não falei que isso não ia acabar bem. Mas é fácil de explicar o que o motivou a não parar quando chegou ao terceiro ou quarto maço de notas fresquinhas: a ambição humana, sempre ela!
Quando ele colou a folha com o círculo negro, eu já suspeitava que ele quisesse ficar livre com as duas mãos para poder “trabalhar” mais facilmente. Agora entrar no cofre era algo que eu jamais suspeitava que o doido fosse fazer, não imaginei que existisse alguém tão pirado assim.
Acredito que você esteja se perguntando por que eu não interferi, sendo que acompanhei tudo que aconteceu. Também é fácil de explicar isso, pois estou preso ao juramento do livre arbítrio, ou seja, deixar que os homens tomem suas atitudes de acordo com as suas próprias decisões.
É claro que eu lhe mandei bons pensamentos, implorando que ele não fizesse aquilo, que largasse tudo e fosse embora, mas parece que nesse caso o mal falou mais alto, ou melhor, sussurrou mais forte em seu ouvido.
É, o negócio e ir embora, apesar das batidas que ele está dando nesse momento para tentar sair do cofre incomodar meu coração. Quem disse que a vida de anjo da guarda é fácil, também tem que fazer serão em sábados sem ganhar hora extra. Brincadeira!
Bom, vou indo, acabou de encerrar meu turno...
Brincadeira de novo, só vou buscar uma ajuda para salvar nosso amigo trapalhão. Quem sabe acordando o vigia que pegou no sono na frente da teve no refeitório.
Mas antes de ir embora, você deve estar imaginando como toda essa história terminou, porque infelizmente a bateria da minha filmadora acabou e não deu para registrar tudo.
Para resumir, consegui estimular o vigia para que fizesse uma ronda na empresa. Ele se deparou com o escritório vazio e a porta do chefe aberta. Já suspeitou de tentativa de furto ou algo do gênero, mas creio que a sua reciclagem estava um pouco atrasada, isso se ele fez algum bom curso na área de segurança, pois não chamou ninguém pelo rádio e foi invadindo a sala.
Ele ouviu o barulho do nosso amigo batendo dentro do cofre e rumou em sua direção. O que ele não viu foi o círculo preto no chão quando ele chegou na frente do cofre, e acabou indo parar dentro do aterro abaixo do prédio. Se ele saiu de lá, preciso perguntar para o seu anjo da guarda, depois eu lhe conto.
Quanto ao nosso amigo trapalhão, bom, não teve jeito, lá vem ele, chegando aqui no andar de cima.
O círculo preto? Assim como surgiu, desapareceu, só ficou uma folha branca jogada no chão. Até hoje os peritos não sabem como foi que o nosso amigo conseguiu entrar no cofre e se fechar lá dentro, o caso entrou para os crimes sem solução.
Mas eu creio que ele surgirá novamente em outro lugar, numa outra época, provavelmente para testar outra pessoa.

=============================================

O conto foi inspirado no vídeo, que me foi enviado pelo amigo Adilson.

Abraços renovados!

8 comentários:

  1. Joe que legal amigo!
    Eu estava com dó do amigão aí, depois ví que ele foi se corrompendo e acabei com dó de novo, hahahahaha.
    Esse vídeo é de algum filme? Legal viu!

    Atualizei, passa lá depois!

    ResponderExcluir
  2. Imaginação fácil e fértil. Ótima. E, agora, comentando bem, ô anjo da guarda preguiçoso! Ou estava no momento de tomar água e perdeu o rumo na volta do buraco negro?
    Parabéns, poeta!

    ResponderExcluir
  3. Noooooooossa, nem me admito ,pois tua imaginação é DEZ! Ganhaste um vídei legal e dele, voaste e foste brilhante! abração,chica

    ResponderExcluir
  4. Video feito para o festival AXN de videos amadores se nao me engano do ano de 2010.

    é sempre bom acompanhar o lado B das produções, adoro festivais de curtas.

    abraços ^^

    ResponderExcluir
  5. Hua, kkk, ha, ha, cobiça só leva para o buraco (literalmente).

    E gostei da história.

    Eu gosto de jogos de RPG, mas o último que joguei neste estilo de turno foi Chrono Trigger, mas teve yna fase que nunca consegui passar (o cd estava arranhado).

    No caso de Botafogo , é que a namorada dele é a Princesa, não esta ultima cadelinha.

    Fique com Deus, menino JGCosta.
    Um abraço.

    ResponderExcluir
  6. Ual!
    Maravilhoso conto!
    Quanta criatividade, hein!

    Parabéns!

    Adorei tudo aqui neste cantinho e já estou seguindo!

    Um beijo mágico e uma ótima semana.

    Milla Borges
    Twitter: @millaborges

    ResponderExcluir
  7. É Joel todos sofrem seus infortúneos diários, esse camarada aí não está tendo uma vida nada fácil!

    Beijos.

    ResponderExcluir
  8. Caramba! Muito bom!
    Tenho de colocar esse vídeo no meu blog também!

    ResponderExcluir

Agradecido por comentar!
Abraços renovados do amigo JoeFather!